RAMA realiza o IV Encontro Maranhense de Agroecologia em São Luís

O encontro organizado pela Rede de Agroecologia do Maranhão ocorrerá nos próximos dias 15 a 17 de setembro, de forma presencial, no espaço CESIR/FETAEMA, na região metropolitana de São Luís.

A Rede de Agroecologia do Maranhão (RAMA) realizará IV Encontro Maranhense de Agroecologia (EMA) entre os dias 15 a 17 de setembro, no espaço da CESIR/FETAEMA, na região metropolitana de São Luís. Com o tema “Agroecologia como estratégia ao enfrentamento dos conflitos e das mudanças climáticas no Maranhão”, o encontro tem previsão de reunir em torno de 100 pessoas de todas as regiões do estado, do campo e da cidade, comungando com as diversas bandeiras para fortalecimento da agroecologia e unificando as lutas de agricultores e agricultoras, quebradeiras de coco, pescadores artesanais, quilombolas, indígenas, mulheres e juventudes.

Após dois anos de pandemia, este é um momento em que a RAMA se encontra com toda a sua militância, parceiros e aliados e se fortalece enquanto rede, que tece aos longos dos seus 24 anos de existência, uma luta pautada pelo bem viver dos povos e comunidades tradicionais no Estado. “Esse ano o encontro tem como foco desenvolver debates e trocas de experiências numa perspectiva de construir e fortalecer a agroecologia no estado. Temos o interesse de dialogar sobre os diferentes tipos de conflitos no campo, da luta contra o uso de agrotóxico, assim como discussões acerca dos problemas ambientais e do clima que toda a amazônia maranhense tem enfrentado”, explica Raimundo Alves, coordenador executivo da Acesa e da RAMA.

A programação será composta por plenárias, painéis e mesas de debate sobre conflitos e violência no campo e os impactos dos agrotóxicos nos territórios; Agroecologia no enfrentamento às mudanças climáticas; oficinas com temáticas de Certificação Participativa e de conformidade com a produção orgânica; Mulheres e Agroecologia; Conflitos, Justiça Ambiental e Clima; além de intercâmbios, feiras de sabores e saberes, trocas de sementes e atos políticos. Ações que buscam alinhar as agendas das organizações do campo agroecológico num momento de crescente discussão dos problemas gerados pelas mudanças climáticas, no intuito de construir processos de resiliência e justiça climática junto às diversas vozes dos territórios, povos e comunidades tradicionais.

Na noite do dia 16, realizaremos um ato político da ação “Agroecologia nas Eleições”, organizada pela Articulação Nacional de Agroecologia-ANA, e pela RAMA. Temos como objetivo, pautar as demandas da agroecologia e da agricultura familiar aos candidatos e candidatas do nosso Estado, a se comprometerem com as propostas das políticas, programas e ações contidas na carta lançada por nós.

O IV EMA tem o apoio da Articulação Nacional de Agroecologia, do Programa Vozes Pela Ação Climática Justa, da Fundação Avina, Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, e a Grassroots International.
Veja aqui a Carta Convocatória

Sobre a Rede de Agroecologia do Maranhão

Criada em 1998, a rede é formada por diferentes instituições e organizações comprometidas com a preservação e valorização dos meios e modos de vida de povos e comunidades tradicionais. Ao longo de sua trajetória, tem buscado fortalecer e difundir a agroecologia como um modelo capaz de fazer frente ao desenvolvimento adotado para o campo maranhense e que tem desestruturado inúmeros grupos cujas formas de vida estão pautadas em outras lógicas e não apenas mediatizadas pelo dinheiro.

A Rama se junta às tantas vozes que ecoam de todo o território maranhense denunciando as ameaças praticadas pelo agronegócio, a mineração, a agropecuária, os despejos forçados, e leis que tentam tirar os direitos dos PCTs e que tem ameaçado a existência de agricultores, indígenas, quilombolas, quebradeiras de coco babaçu e pescadores que encontram nas matas, rios e florestas. Tem realizado importantes ações de promoção da Agroecologia, intensificado o debate e atuado na criação de políticas públicas voltadas para a inserção produtiva de povos e comunidades tradicionais, com destaque para a Política Estadual de Agroecologia e Produção Orgânica do Maranhão (Lei 10.986/2018).

Suas ações buscam ainda mitigar os desafios enfrentados para a consolidação da agroecologia no Maranhão, os quais passam pelas ameaças aos modos de vida dos povos e comunidades tradicionais que encontram na agricultura uma de suas principais fontes de existência. A Rama tem apresentado estes problemas ao poder público e reivindicado de forma incisiva sua resolução.

Serviço

IV ENCONTRO MARANHENSE DE AGROECOLOGIA
15 a 17 de setembro de 2022
CESIR/FETAEMA, Rua Urucutia, nº 11 – Araçagy, São José de Ribamar/MA.
Para mais informações, envie um e-mail para: redeagroecologiarama@gmail.com

*Com informações da RAMA.

Deixe uma resposta